terça-feira, 16 de junho de 2009

SAIA JUSTA: Bethy Lagardère uma musa eterna!



"Nossa conduta, publicamente falando, era bastante discreta. Chanel, por exemplo, não permitia que suas modelos usassem nada que não fosse Chanel. Mas o mundo muda e rápido, as exigências de ontem não são as mesmas de hoje. Pessoalmente sinto que seja assim. Há uma banalização do álcool e das drogas que nunca fizeram parte do meu mundo. O critério de seleção era baseado numa beleza real.
O escândalo não fazia parte da nossa publicidade
!"


Bethy Lagardère

[socialite franco-brasileira responde à pergunta de Lilian Pacce sobre as "it girls”, como Alice Dellal, Agyness Deyn, Kate Moss, e suas imagens provocativas e atitudes rebeldes]

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Surrealismo!

A fotografia é uma maneira de congelar o presente, trazer um instante para a posteridade, tornar quase que eterno uma lembrança esquecida pelo cérebro. Nos primórdios desta arte, era irreal imaginar uma foto que guardasse o movimento, possibilidade já existente hoje. O fotógrafo Atton Conrad produz imagens surrealistas com a ajuda da luz, cria graffitis com formas orgânicas inserindo movimento e leveza à fotos, as luzes circulam em volta do corpo como texturas em tecidos fluídos.




Testino love Gisele : Gisele love Testino

A relação de amor entre Gisele e Mário Testino é antiga e ainda rende ótimos frutos, como as fotos para a Vanity Fair Magazine. Ele consegue fotografar uma Gisele com ares de diva de Hollywood, aproveitando sua expressividade [ainda tímida] e produzindo imagens de moda maravilhosas. Merci!







segunda-feira, 8 de junho de 2009

Dicas de como usar uma camiseta!

Fui a um brechó super legal lá no Rio Vermelho [Desculpa, mas não me lembro o nome!] e vi várias peças ótimas pra produções ou montações diárias. Imaginem: coletes, batas leves, tricôs, calças coloridas, cinturas altas, enfim, peças com histórias próprias para construir outras histórias. Fiquei impressionado com as camisetas de bandas bem oitentinha e resolvi escrever um post dando dicas de como usar peças tão curingas em looks urbanos!

Para ilustrar, peguei fotos do The Sartorialist e do Face Hunter!

1 - Transformar a camiseta ampla em um vestido leve e solto é ótimo! Para valorizar o look, invista em sapatos poderosos, em cores contrastantes à camiseta e abuse dos acessórios como maxi-colares.


2 - A camiseta vai à praia! Se você recebeu um convite de última hora [tipo do paquera] e quer arrasar na praia sem se exibir muito a bordo de seu biquíni, aposte na camiseta caída no ombro! Escolha um biquíni que contraste com a cor da camiseta, bolsa de plástico colorida, óculos poderosos e rasteirinhas a tira colo!


3 - Cintura marcada. Se você não dispensa ter uma silhueta feminina e romântica, um ótimo acessório é o cinto, ele dará um efeito de cintura marcada. Você pode complementar o look com meias pretas ou coloridas e sapatos pesados, seja ankle boot ou sandálias geométricas.


4 - Boyfriend now! Pegar emprestado as peças do guarda-roupa do namorado é uma das fortes referências da estação, então não se faça rogada e pegue aquela camiseta dele que você adora e coordene com um jeans larguinho, colorido, e com sapatos [esses da foto são ótimos!]. Pra dar uma leveza, escolha acessórios mais femininos e delicados, se pensar num lenço dê preferência aos de tecidos leves ideais ao nosso clima incerto; invista em flores e laços para os cabelos, eles dão um toque menininha ao look.


5 - Vestida para matar! Adorei a idéia de usar uma camiseta como top para um look tipo primeiro encontro, que a mulher precisa estar fascinante e feminina. A dupla camiseta com gola canoa + cintura alta é ideal, uma opção super fácil de encontrar. Compra uma camiseta em loja de departamento, passa na costureira pra ela colocar umas tachas [tendência] e cortar o decote. É só escolher os acessórios certos, pulseiras de metal e sapatos pesados [se tiver tachas melhor ainda], e você estará pronta para deixar o gato louco!

E não esqueça, em tempos de crise criatividade é essencial! Tire a sua do armário e comece a usar!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Poesia de cimento


Tenho tantos devaneios que me perco na realidade, ontem andando pelas ruas de Salvador, me esbarrei em pessoas, vi prédios surgir e outros morrer, ouvi barulhos que não soube distinguir. O tempo me roubou a atenção, o diálogo entre diferentes formas tocou-me agudamente, ver o contemporâneo negar o vanguardista, a altura ao comprimento, o singular ao plural. Formas de uma cidade em des/construção, desaba a colonização e emerge a verticalização!

Tentei não pensar em mim, mas pensei na moda. Como esta reagiria a esta realidade capaz de cercear a visão de alguns que momentaneamente vêem tudo como progresso? Salvador perde a sua volumetria e textura, a Barra não tem mais as pedras portuguesas, as casa não usam mais o ladrilho hidráulico com padrões gráficos tão presentes na cultura nordestina. Uma identidade é desconstruída, os otimistas falariam em repaginar a cidade, dar ares cosmopolitas. Questiono, insuflo o pensamento, desconstruo em mim o que dizem ser "cosmopolita", SALVADOR NÃO É DE TODAS AS NAÇÕES! Salvador é do povo, como a praça é do poeta!

Adaptar a cidade para receber a globalização é fazê-la sumir, desaparecer entre arranha-céus, ferver não mais ao som do trio elétrico, mas das paredes de vidro espelhado. É questionar ou esquecer a história de muitos que nela nasceu, morreu ou apenas esteve de passagem. Como uma roupa que trucida o corpo, dilacera as formas, reconstrói a paisagem.

Pode ser estranho falar em corpo ao falar de cidade, a relação não está na forma, e sim, na dinâmica. Assim como a terra que um dia se tornou cidade, o corpo é um suporte para a moda. Os prédios crescem e são demolidos, as roupas vestem; as ruas surgem, a estética muda o corpo; a cidade cala, o corpo fala; o tempo age tanto na cidade como nas pessoas, numa dinâmica des/construtora.

Ao ver a cidade, não vejo mais os resquícios de cultura, vejo como é prolixa a ignorância. Há de ter um dia em que o céu não será mais do condor, nem a praça do poeta!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Agy Deyn para UNIQLO

As campanhas da UNIQLO me remetem a uma cultura oriental em processo de abertura e globalização, quando há uma sinergia entre símbolos ocidentais e os mais tradicionais signos orientais. Sempre me encantou a maneira como eles conseguem utilizar as referências da cultura de rua japonesa, um mar imaginativo para qualquer fashion designer, em filmetes como ação promocional, trabalhando a imagem e fortalecendo-a como uma marca de street wear, não de basic wear, proposta inicial.



Em sua última campanha para a linha sports casual, com o styling assinado por Nicola Formichetti, que dispensa apresentação, e estrelada por Agyness Deyn, a marca apresenta uma atmosfera nova. O cenário é uma Nova York contrastante, prédios com arquitetura greco-romana em diálogo com arranha-céus espelhados; dois modelos ocidentais, loiros, correndo pela cidade num efeito slow motion, como num balé de rua; tudo em volta é predominantemente cinza, em contraponto, as peças desenhadas por Jil Sander são rosa pink, verde limão, azul bic e laranja. Um conceito ousado, mas pertinente, uma vez que a UNIQLO pretende expandir seu mercado ocidental e precisa fortalecer cada vez mais a sua marca, como no próprio vídeo mostra: SPORT FOR EVERYDAY!

A campanha mostra o lado jovem e vibrante do dia-a-dia nas grandes cidades, com uma mensagem subliminar: logo na primeira cena aparece uma placa de sinalização STOP, o que nos remete à filosofia oriental de qualidade de vida! Uma ótima sacada e uma maneira de mostrar os valores da marca, o que super casou com a realidade de mercado atual, quando a crise inspira uma mudança nos hábitos de compra, e num viés mais profundo, na maneira de pensar e agir das pessoas!

terça-feira, 2 de junho de 2009

Uma paisagem emerge!


Zaha Hadid é famosa por sua criação através das ferramentas digitais que seduziu Karl Lagerfeld com a arquitetura do contêiner da Chanel e deixou os brasileiros atônitos com a sandália desenvolvida para a Melissa. Encantada pela fluidez, ela foi convidada para desenvolver uma linha da calçados para a Lacoste inspirada no símbolo da marca: o jacaré.


A partir da textura do animal, a arquiteta iraniana desenvolveu gridis com a repetição de padrões, o que propiciou uma maior maleabilidade ao material utilizado na confecção de sapatilhas e botas de cano alto e baixo que enlaçam as pernas dando um efeito de pés alados [pertinente ao conceito da campanha de comunicação da marca], criando um design com movimento e observando as formas do corpo humano e suas transformações. "Quando envolto em torno da forma de um pé, o material expande e contrai para negociar e adaptar ergonomicamente ao corpo. Assim, uma paisagem emerge", define Zaha.


Previsto para chegar às lojas da Lacoste em setembro, os calcados terão uma tiragem de 850 pares! Quer ter logo um? Então corre, porque em julho chega à Collete, em Paris, na Dover Street Market, em Londres, e na Corso Como, em Milão, uma pequena quantidade para matar a curiosidade e despertar o desejo dos fashionistas de plantão!

Louco por animação!

Sou apaixonado por animação e encontrei um vídeo de marketing viral produzido por Jenna + Sara, designeres que se intitulam "EQUIPE CRIATIVA", para a V Water. Muito criativo e encantador, para deixar a imaginação borbulhando como a água!




Sara Leal, brasileira, e Jennifer Chen, chinesa, formam uma equipe multitalentosa com um ótimo portfólio e cartela de clientes, como AUDI, DOMINO'S PIZZA, BMW, entre outros.

Passeio cultural pela internet: passa no site delas! ok?!

"Isso prova como reciclagem pode ser arte"

Queridos amigos leitores,

começo esse post com um pedido encarecido de compreensão, estive ausente por conta dos compromissos diários e priorizei-os com dor no coração por não mais poder escrever semanalmente. Hoje estou feliz e radiante por falar a vocês de minhas epifanias comportamentais, empolgadíssimo pra alcançar a meta de postar diariamente!

Estou num momento de aprendizado, projeto do SENAI/IBMODA, consultorias, coleções, etc etc etc, num processo de auto-conhecimento e construção de um repertório cultural [redescobri minha paixão pela literatura nacional e frequento semanalmente museus e exposições].

Acompanhando a internet descobri a City of Philadelphia Mural Arts Program, um programa de arte-educação na cidade de Philadelphia, EUA. Muitos não sabem, mas 22 de abril é considerado o Dia da Terra, comemorado em alguns países com atos de cidadania que intuem para uma melhor preservação e sustentabilidade do meio ambiente. O Mural Arts Program inovou, em 2009, ao apresentar 10 caminhões de reciclagem decorados por jovens do programa.

Durante as aulas, os alunos criaram estampas com a ajuda de arte-educadores, estas foram digitalizadas e aplicadas como adesivos nos caminhões, para assim, despertar a atenção da sociedade e enfatizar a importância da reciclagem como uma maneira de ajudar o meio ambiente e economizar a verba pública gasta com os aterros. Os caminhões são um exemplo de arte urbana, feito para ser apreciado pela população enquanto está na praça, num café, como também, para dialogar com a cidade e seu cotidiano, levando uma mensagem de sustentabilidade e que é possível mudar o mundo sim!

Uma ótima iniciativa ecológica, cultural e artística!

Fica o apelo: Brasil mostra a sua cara!